jjjl jjl
 

Por agir no sistema nervoso central, as drogas modificam o psiquismo do usuário. Estas modificações começam a repercutir em seu comportamento, alterando o relacionamento dele com amigos, familiares e colegas. Por este motivo, alguns sinais podem ajudar a identificar se uma determinada pessoa é usuária. Mas é importante salientar que alguns destes sinais podem existir sem o uso de drogas. Eles devem ser observados em seu conjunto. Por exemplo, se seu filho chegar uma noite em casa usando óculos escuros, isto não significa necessariamente que ele está se drogando. Mas se alguns outros sinais listados a seguir surgirem juntos, a probabilidade de que isto esteja acontecendo aumenta consideravelmente. Os sinais, originalmente elaborados pelo já citado Dr. José Elias Murad com algumas modificações, são os seguintes: mudanças bruscas no comportamento; repentina mudança de personalidade e acessos de mau humor sem explicação; falta de motivação para as atividades comuns; queda no rendimento escolar ou abandono dos estudos; queda na qualidade do trabalho ou seu abandono; abandono da companhia de outros; encerra-se sozinho no quarto, etc; perda de interesse por atividades favoritas, hobbies, esportes e passatempos são deixados de lado; inquietação, irritabilidade, insônia ou, ao contrário, depressão e sonolência. Nestes últimos casos, não é incomum a menção freqüente ao tema suicídio. Aumenta o número de infrações de trânsito.

Pequenos acidentes começam a ocorrer com demasiada freqüência. O uso de maconha no carro também pode causar pequenos buracos no estofamento, devido a explosão e queda das sementes contidas no baseado. Mudança de turma. O jovem afasta-se dos antigos amigos para procurar um grupo da pesada. Podem surgir telefonemas de pessoas desconhecidas. Clima difícil em casa. Aumentam as hostilidades com os familiares. Espaçamento ou ausência de vida sexual. O usuário pode começar a ter dificuldades em manter relacionamentos afetivos prolongados. Olhos avermelhados ou dilatados (arregalados). Compra freqüente de colírio para os olhos. Alteração no aspecto físico, desleixo. Presença de instrumentos necessários para consumir drogas. Cachimbos, maricas, comprimidos, colírios, seringas, xaropes, colheres sem cabo ou com cabo torto (para consumir drogas injetáveis), etc. Alterações acentuadas no apetite. Algumas drogas como a maconha causam uma grande sensação de fome conhecida por larica. Outras, como a cocaína e as anfetaminas, diminuem o apetite do usuário. Atitudes furtivas ou impulsivas. Uso de óculos escuros mesmo sem excesso de luz, camisas de manga longa mesmo no calor. Falta de motivação. Incapacidade de cumprir com as responsabilidades ou falta de vontade para fazer as coisas. Excesso de distração, rir em demasia. Reação defensiva quando se mencionam as drogas e o álcool na conversação. Desaparecimento de objetos de valor em casa ou no local de trabalho. Lesões e irritações nasais constantes. O uso contínuo de cocaína produz lesões no septo nasal que podem inclusive sangrar. Ausências do trabalho ou de casa inusitadas e por longo período. Afecções nos brônquios e outros problemas de saúde incomuns. Dívidas em casa e no trabalho.Telefonemas e ameaças de credores e agiotas. Cheiros estranhos na roupa e na boca, troca do dia pela noite. Através de testes e exames de laboratório, também é possível detectar se uma pessoa está utilizando drogas ou não. A grande desvantagem é que isto acaba desestimulando o diálogo e a confiança, acrescentando, em caso afirmativo, mais problemas ao relacionamento. Dentre os exames de laboratório, existe um que utiliza-se da cromatografia gasosa. Segundo o toxicologista Marco Aurélio Neto Dorneles, do Toxilab - Laboratório de Toxicologia de Porto Alegre, este é o método mais rápido e sensível para se fazer a triagem das substâncias químicas. A seguir, um quadro contendo o material que deve ser colhido para cada tipo de droga e o período em que o teste fica positivo após ela ser utilizada pela última vez:

Droga Material / Após cada dose, o teste fica positivo por:

Anfetaminas / Urina ao acaso 1 a 3 dias (dependendo do pH urinário)

Barbitúricos / Urina ao acaso 1 dia a semanas (de acordo com a meia vida da droga usada)

Cocaína / Urina ao acaso 1 a 3 dias

Maconha / Urina ao acaso 2 a 5 dias (usuário ocasional)até 25 dias (usuário freqüente)

Opiáceos / Urina ao acaso 1 a 3 dias

Etanol / Amostra de urina Após o pico do conteúdo alcoólico no sangue. A bexiga não deve ser esvaziada nos 30 minutos anteriores à coleta

Alcool / A Sangue total(fluoreto de sódio) Pico alcoólico 40 a 70 minutos após a ingestão.Absorção completa 60 a 90 minutos após a ingestão.Obs.: na ausência de alimentos.

Outro método, desenvolvido há pouco mais de dois anos por um laboratório britânico, descarta completamente a cooperação da pessoa que vai ser testada, não necessitando de amostras de urina, sangue ou saliva. Basta apenas recolher fios de cabelos inteiros (que conservam traços do uso de drogas durante semanas) de uma fronha lavada recentemente ou de uma escova, colocá-los em um saco plástico e enviá-los ao laboratório. Os resultados saem em no máximo 48 horas. Comercializado na Inglaterra sob o nome de Catch and Cure (Pegue e Cure), custam aproximadamente 20 libras (cerca de R$ 28,00). O médico escocês David Wallace, da Biogenerics (20-7, Pottery St., Greenock, Scotland, PAI52UH, United Kingdom), afirma que os testes detectam o uso de drogas como maconha, cocaína, anfetaminas, LSD e heroína, com uma probabilidade de 94% de acerto. Mas, reforçando o que já foi dito, nada substitui o diálogo entre pais e filhos. Pode parecer piegas, mas o coração de um pai ou de uma mãe dificilmente se engana. Livre-se de seus preconceitos e procure guiar-se por seus instintos. Eles são muito mais confiáveis.


O Corpo Humano .com.br - Manuel S. - Melhor visualizado em resolução 800x600