As enzimas são um tipo de proteínas (as protínas são o principal componente de cerca de 80.000 enzimas!). A função das enzimas é acalerar certas reações químicas (atuar como catalisadores).

Muitos nutrientes, como o amido ou as próprias proteínas, são compostas de moléculas menores. As enzimas, neste caso, vão atuar sobre o amido e transformá-lo em maltose ou glicose. No caso das proteínas, as enzimas vão quebrá-las em aminoácidos. Exemplo (quebra da sacarose em glicose e frutose):

As enzimas podem também juntar subtâncias, como a junção de glicose mais frutose para formar uma molécula de sacarose. Vaja na figura abaixo:

Cada enzima atua sobre um diferente tipo de material, chamado de substrato. Assim, o amido é o substrato da enzima ptialina (enzima que digere o amido) e a proteína é o substrado da enzima pepsina (enzima que digere a proteína). As enzimas são específicas, ou seja, atuam apenas sobre o seu substrato (como uma chave que abre apenas sua fechadura ou cadeado). As enzimas são reutilizáveis, ou seja, podem agir várias vezes.

Cada enzima tem seu "ambiente de trabalho", assim, uma enzima que trabalha bem na nossa boca (meio neutro = nem ácido nem básico) não vai trabalhar bem no estômago (meio ácido) nem no intestino (meio básico). Da mesma maneira, uma enzima do estômago não trabalhará bem no intestino... No ambiente de trabalho, devemos incluir também a temperatura. Quando a temperatura se eleva muito, as enzimas de deformam (no caso do exemplo da chave, a chave se entorta e não abre mais a fechadura ou o cadeado).

Agora você se pergunta: "A enzima tripsina por exemplo, é produzida pelo pâncreas e age sobre proteínas presentes no próprio pâncreas, por que então o pâncreas não se auto-digere?" A resposta é simples, a enzima é produzina na forma inativa de tripsinogênio, ou seja, é como um cachorro na coleira, é capaz de morder mas não consegue. Ao chegar no intestino delgado, uma enzima intestinal "quebra" o tripsinogênio em certo ponto fazendo desta maneira com que ele se torne ativo (é como se alguém tirasse a coleira do cachorro e o deixasse livre para morder...).

O Corpo Humano .com.br - Manuel S. - Melhor visualizado em resolução 800x600