O Retículo Endoplasmático, imaginando uma fábrica, poderia representar os corredores ou as esteiras onde os produtos produzidos são "despejados". Ele é práticamente um "organóide multiuso".

O retículo tem como principais funções o transporte de materiais (substâncias) pela célula e também o armazenamento destes materiais em dilatações (como se fossem pequenos armazéns). Além disto, o retículo pode produzir substâncias, como certos lipídios, que são produzidos no retículo liso de células do ovário humano.

O retículo endoplasmático é dividido em dois tipos: o retículo endoplasmático liso e o retículo endoplasmático rugoso (também chamado de ergastoplasma). A diferença entre os dois é simples, o rugoso, em sua parede externa, possui ribossomos, que são pequenos organóides fabricantes de proteínas. O liso, não possui estes ribossomos (por isso ele chama liso!).

A função dos ribossomos aderidos à parede do retículo endoplasmático rugoso é simples de entender, eles produzem as proteínas e as "jogam" para dentro do retículo. Lá, elas são transportadas até se concentrarem em um certo ponto. A concentração então, força a criação de uma vesícula, que acaba se desprendendo do retículo. A vesícula segue caminho e se funde ao complexo de golgi, onde é "empacotada" e enviada para fora da célula. Para entender melhor este processo, visite a página sobre o complexo de golgi (clique aqui).

O retículo endoplasmático é bem difundido na célula, em alguns casos, ele fica aderido à membrana do núcleo (chamada carioteca).

O Corpo Humano .com.br - Manuel S. - Melhor visualizado em resolução 800x600